CITAÇÕES DE DOM QUIXOTE DE LA MANCHA

Dom Quixote de La Mancha é o maior romance jamais escrito, observação essa que, pode-se dizer, é um lugar-comum entre a crítica literária. É minha obra preferida, lida e relida muitas vezes. Pretendo aqui publicar os trechos que considero mais espirituosos, humorísticos, sagazes, sensatos e disparatados da obra, dando sempre especial atenção à maravilhosa riqueza da linguagem empregada por Cervantes.
Como este é um espaço jurídico, inicio hoje com os judiciosos conselhos que Dom Quixote dá a Sancho Pança, quando este é nomeado governador de uma ilha:

– Nunca interpretes arbitrariamente a lei, como costumam fazer os ignorantes que tem presunção de agudos;
– Achem em ti mais compaixão as lágrimas do pobre, mas não mais justiça do que as queixas dos ricos;
– procura descobrir a verdade por entre por entre as promessas e dádivas do rico, como por entre os soluços e importunidades do pobre;
– quando se puder atender à equidade, não carregues com todo o rigor da lei no delinquente, que não é melhor a fama do juiz rigoroso do que do compassivo;
– se dobrares a vara da justiça, que não seja ao menos com o peso das dádivas, mas sim com o da misericórdia;
– quando te suceder julgar algum pleito do inimigo teu, esquece-te da injúria e lembra-te da verdade do caso;
– não te cegue paixão própria em causa alheia;
– se alguma mulher formosa vier te pedir justiça, desvia os olhos das suas lágrimas e os ouvidos dos seus soluços, e considera com pausa a substância do que pede, se não queres que se afogue a tua razão no seu pranto e a tua bondade no seus suspiros;
– a quem hás de castigar com obras, não trates mal com palavras, pois bem basta ao desditoso a pena do suplício, sem o acrescentamento das injúrias;
– ao culpado que cair debaixo da tua jurisdição, considera-o como um mísero, sujeito às condições da nossa depravada natureza, e em tudo quanto estiver da tua parte, sem agravar a justiça, mostra-te piedoso e clemente, porque ainda que são iguais todos os atributos de Deus, mais resplandece e triunfa aos nossos olhos o da misericórdia que o da justiça.

Impressionante!