Dom Quixote – citações II

Havia um doido em Sevilha, que deu no mais gracioso disparate e teima que nunca se viu. E foi que fez um canudo de cana pontiagudo e, em apanhando um cão na rua, ou em qualquer outra parte, prendia-lhe uma pata com os pés, com a mão levantava-lhe outra e, como podia, lá lhe adaptava o canudo em sítio, em que, soprando-lhe, o punha redondo como uma péla, e, quando o apanhava deste modo, dava-lhe duas palmadinhas na barriga, e soltava-o, dizendo aos circunstantes (que sempre eram muitos) – Pensarão agora Vossas Mercês que é pouco trabalho inchar um cão assim?