O SEGUNDO TIRO

Em uma audiência criminal para apuração de tentativa de homicídio à bala, sentou-se a vítima para ser inquirida, um italiano cinquentão e corpulento, com dente de ouro, dono do boteco onde o crime ocorreu.
– Pois então, seu Michels, o senhor pode contar como foi que o fato aconteceu?
– Sim – respondeu ele – eu estava atrás do balcão quando apareceu o Zé e me disse assim: boa noite, seu Michels, e me apontou o revólver e deu dois tiros.
– E onde os tiros o atingiram?
– Um pegou aqui no braço – disse.
– E o outro?
Aí o cidadão se esticou na cadeira, mostrou o lado direito da barriga, e respondeu:
– Aqui na picanha.
O resto da audiência foi normal.