DICIONÁRIO DAS EXPRESSÕES CRETINAS E EQUÍVOCAS II

DICIONÁRIO DE EXPRESSÕES CRETINAS E EQUÍVOCAS é um apanhado de palavras e expressões que venho recolhendo há algum tempo e que dizem muito sobre a dinâmica cultural e sua influência na língua, que nesse contexto, a meu juízo, caminha para trás, na medida em que banaliza as palavras ao ponto de fazê-las até perder o sentido e adotar-lhe outro, sempre surpreendente. Vou publicar regularmente, aos poucos, os verbetes desse micro dicionário.

– Astrologia judiciária – essa expressão nada tem de cretina, é um dito de Cervantes no Dom Quixote, que explica às maravilhas o ditado: de bunda de criança, de pata de cavalo e de cabeça de juiz, nunca se sabe o que vai sair. Entretanto, a verdade é que significa apenas e tão somente o horóscopo, onde judiciária significa os juízos e vaticínios que estabelece para os destinos humanos.

– Ave – upgrade de galinha. Afetação da classe média, que se envergonha de admitir que come galinha, comida de pobre, que também a apelida de penosa. Esse nome também é utilizado pela burguesia, para dar a impressão de que, ao menos uma vez na vida, vai comer esse alimento de baixa extração, embora o faça duas vezes por semana. Os menos sofisticados usam a expressão frango, ou mais carinhosamente, franguinho, tratamento com o qual o animal deve se desvanecer.

– Animal irracional – aquele que só mata para se alimentar, não por prazer ou vingança.

– Bilhete – pernosticismo da classe média que viaja de avião para diferenciar da pobreza, que se vira de ônibus; evidentemente, o que se compra é a passagem, do que o bilhete é a mera materialização. Segundo essa lógica, os viajantes de avião passam a ser bilheteiros enquanto que quem usa ônibus goza do privilégio de ser passageiro.

– Boutique de carnes – essa é uma das mais infelizes expressões já inventadas. Triste sina a do boi, que nunca sai de moda.