DICIONÁRIO DAS EXPRESSÕES CRETINAS E EQUÍVOCAS VI

DICIONÁRIO DE EXPRESSÕES CRETINAS E EQUÍVOCAS é um apanhado de palavras e expressões que venho recolhendo há algum tempo e que dizem muito sobre a dinâmica cultural e sua influência na língua, que nesse contexto, a meu juízo, caminha para trás, na medida em que banaliza as palavras ao ponto de fazê-las até perder o sentido e adotar-lhe outro, sempre surpreendente. Vou publicar regularmente, aos poucos, os verbetes desse micro dicionário.

Carnes nobres – partes mais macias de um cadáver, de preferência bovino. Como são poucas, submetem-se à lei da oferta e procura e apenas os mais abastados podem consumi-las, o que contribui para a confusão entre nobreza e riqueza. Para a plebe, sobra o resto, incluída aí toda a fussura e o tutano. Para aliviar a impressão de dureza, foi inventado o amaciante de carne, que poupou o trabalho da cozinheira com o martelo.

Cloaca – ânus dos animais; para diferenciar dos humanos, que tem ânus, a mesma anatomia dos bichos chama-se cloaca, embora tudo seja c., como se vê. Entretanto, o esgoto humano denomina-se cloacal e não esgoto anal, o que evidencia que os animais nunca levam a melhor com os donos do idioma.

Colunista – indivíduo sem opinião sobre coisa alguma e que se realiza como ser humano espalhando fofocas, irrelevâncias, difamações, injúrias e calúnias, tudo isso várias vezes numa só página de jornal, com o poder de sintetizar cada um desses ataques em tristes aglomerados de no máximo 20 palavras, que são chamadas de notinhas; desempregado sem talento que faz enorme sucesso junto ao sofisticado público leitor. É preciso reconhecer, entretanto, que num verdadeiro jornal, o colunista volta a ser um mero desempregado.