O SENTIDO PERDIDO DE RECORDAÇÃO

O sentido perdido da recordação.   Há alguns meses, recebi uma encomenda de uma edição dos Lusíadas, do século XIX, um livrinho pequeno, todo em couro e com uma dedicatória que terminava assim: “ex cordis”, ou seja, de coração. O dono do livro que foi parar no sebo sabe-se lá porque caminhos tortuosos ao longo…