O CONSELHEIRO E SUA MEDALHA

Todo mundo tem as suas idiossincrasias e o doutor M. tinha as suas, Uma delas era a aversão a cerimônias e medalhas. Não gosto, nunca gostei e não vou gostar, costumava dizer (é essa repetição que faz uma bela idiossincrasia). Tinha a sua própria opinião sobre a coisa, mas não gostava de falar nesse assunto…

DEBAIXO DA MARQUISE

Uns dias atrás, quando caminhava de manhã por uma das ruas próximas ao fórum, cruzei com uma jovem debaixo de uma marquise de ônibus. Ela usava um macacão da moda, preso por um cinto, tinha os cabelos negros e longos, ainda molhados  do banho e usava enormes óculos escuros. Trazia preso entre o corpo e…

O ENCONTRO

O encontro Fazia um frio de gelar os ossos e João Primo estava acabando de jogar seu espinhel ao longo da costa leste da Ilha do Arvoredo. O dia já clareara opaco, mas João já estava no mar há mais de cinco horas e fizera sozinho com sua velha baleeira o percurso de quinze milhas…

MISSA DE CORPO PRESENTE

Morreu Altair, isso para a ex-mulher, porque para a atual companheira já de muitos anos, Altair falecera, o que é coisa bem diferente; quem morre, acaba-se, quem falece acaba-se também, mas deixa saudades. A sutil diferença dos verbos dizia muito sobre o sentimento que as duas nutriam pelo morto, mas a ex-mulher não deixou de…

O ORADOR

O orador tomou a tribuna com passos medidos e também com um olhar medido fitou o auditório lotado, vendo nele apenas o espelho de sua vaidade, massa acéfala sem importância e excessivamente perfumada. Depois, voltou-se logo para a mesa que presidia os trabalhos naquela noite e iniciou vagarosamente a chamada de cada um daqueles que…

O SUMIÇO DA CALÇA SOCIAL DO PRESO

Chega a nosso conhecimento, através do oficio 023050001-7929-000-013, originário da vara do júri desta capital, que uma calça desapareceu das dependências do bunker onde se situam as salas contíguas ao salão do júri. Essa calça destinava-se a servir como reserva para os presos que comparecessem trajando o uniforme da prisão e pudessem assim, apresentar-se menos…

Mau Jeito

João Inácio da Silva era o bem-sucedido proprietário de uma loja de rações, ferramentas e um variado sortimento de venenos proibidos para acabar com qualquer tipo de fauna ou flora que incomodasse seus clientes, no pequeno povoado pesqueiro da Armação da Piedade, lugar de pouca civilidade e muita crendice e superstição. O começo fora difícil,…

O PROCESSO DEFUMADO

Dois juízes-corregedores de nossa terra, acompanhando o responsável por suas nomeações, deslocaram-se até outro estado da federação para participar de um congresso afeto a sua área de atuação. Percebeu o leitor que utilizei o verbo deslocar e não o simples e direto ir, a razão é simples, um magistrado é um órgão do poder judiciário,…

A MISSA DAS DEZ

A MISSA DAS DEZ O doutor Jabuti, juiz de nomeada e muito devoto, naquele domingo de sol de primavera, decidiu sentar na praça do bairro que ficava na frente de uma grande igreja e curtir o sol da manhã e lá estava, mexendo os braços num aparelho que desgrudava as articulações do ombro, achando que…

NEBLINA

Neblina Às vezes, é melhor não fazer nada. Lenta, a dor passa, assim como uma nuvem pesada. Hoje não consigo me concentrar em nada e estou deitado em minha cama neste quarto úmido e mal ventilado de hotel. Não escuto o barulho da rua porque estou no fim do corredor e pela janela basculante apenas…

MUTATIO CAPARUM

Mutatio Caparum   A assessora do magistrado, depois de se desembaraçar de um monte de processos que trazia consigo, colhendo assinaturas e dando breves explicações, disse ao magistrado seu chefe: – Doutor, o rateio da toga vai ficar em cincoenta reais. – Cincoenta reais, que exagero, o último de que participei saiu por cinco! –…

BEIJO PROIBIDO

BEIJO PROIBIDO   Nem tudo o que é parece e às vezes as coisas são tão confusas que nem se sabe bem se elas são ou se elas apenas deviam parecer. Quem sabe o sentido das coisas não exista em si mesmo, esteja apenas dentro da nossa cabeça, quantas vezes disso já não tivemos prova.…

FÉ À PROVA

Fé à prova. Hoje, ao caminhar pela praia, topei com dois jovens, perto dos 30 anos, conversando na areia deserta. Ao passar por eles, escutei, de raspão, um comentar para o outro que “naquele tempo eles iam rezar nas sinagogas dos judeus e eram espancados” e o resto se perdeu. Esse trecho de diálogo não…

NOITE

NOITE   Havia um rebuliço enorme na casa. Gritos, longos e breves, histeria, gemidos horríveis e o som das coisas se quebrando. Era final de noite de domingo na residência do senhor D. e ele a  senhora D. estavam comemorando com a costumeira sem-cerimônia. Do outro lado das paredes, os vizinhos interromperam seus afazeres e…

O Charlatão

Tudo começou com a sogra. Vai lá, que ele te cura, milhares já foram. Vai. Depois foi o colega. Oh, conheço, ele tem o dom, é poderoso, vai lá. Mas eu não acredito, pretextava o crente, de que adianta? Não faz mal, acreditando ou não a graça se manifesta. Ele é muito bom. Mesmo sem…