ANDRADE OU DICIONÁRIO?

Sou do tempo em que se votava por escrito, como ainda acontece na maior parte do mundo civilizado. Meu título de eleitor era maior que um cartão postal e repleto de quadradinhos, onde eram registradas as minhas presenças em todas as eleições. Mais ou menos como um cartão de vacinação gigante. A apuração das eleições…

O COVEIRO VALDEMAR

O COVEIRO VALDEMAR Sobre o portão do cemitério da pequena cidade de Paraibuna, no noroeste do Ceará há uma inscrição talhada em madeira onde se lê revertere ad locum tuus e por baixo dela todo santo dia passava o coveiro Valdemar, que tinha uma certa antipatia por ela e não lhe dava mais atenção. Ninguém…

SERVIÇOS PÓSTUMOS

SERVIÇOS PÓSTUMOS   O homem parou um instante e leu a placa na frente da  casa: “Serviços Póstumos”. Que curioso, pensou, que afetação! Um desavisado não saberia o que pensar desse estabelecimento, que mais parece um escritório de contabilidade. Alguém poderia pensar em fazer uma retificação póstuma do seu imposto de renda, talvez. Mas em…

INDENIZAÇÃO PUNITIVA: TRÊS HIPÓTESES DE INADEQUAÇÃO

       A quem se interessa em compreender de forma adequada a função da indenização por danos morais, segue aqui uma análise da jurisprudência do Tribunal de Justiça de Santa Catarina que mostra a confusão que reina sobre o emprego do conceito de “caráter pedagógico-punitivo” na composição do quantum a ser arbitrado mas hipóteses…

MINHAS POBRES SOBRANCELHAS.

       As esteticistas são um caso à parte. Elas desenham sobrancelhas, aplicam maquiagem definitivas,  fazem o diabo no rosto de uma mulher, como se fossem artistas do pincel e privilegiadas com um olhar sublime sobre a beleza feminina. Nunca compreendi as mulheres que tem um rosto natural bonito e fazem questão de transformá-los…

OS PUNITIVE DAMAGES NO DIREITO BRASILEIRO

     Tornou-se um lugar comum em sentenças e acórdãos prolatados em ações de reparação de dano moral o emprego de uma fórmula padronizada, que estima as indenizações levando em conta o dano sofrido pela vítima, a conduta do réu, a capacidade econômica das partes e o caráter pedagógico-punitivo da sanção. Esse caráter pedagógico, cujo propósito expresso…

“O FREIO DA RAZÃO NA BOCA DO CAVALO DA CRENÇA”

O psicólogo e cientista Michael Shermer, em sua obra “Cérebro e Crença”,  assim se expressa: “A maioria das pessoas, na maior parte do tempo, chega a suas crenças por uma grande variedade de razões, que incluem personalidade e temperamento, dinâmica familiar e ambiente cultural, pais e irmãos, amigos e professores, educação e livros, mentores e…

JULGAMENTO AMPLIADO NO ART. 942, DO CPC E A COMPULSÃO POR PRODUTIVIDADE: A CRENÇA NO BIZARRO.

Este artigo não é um comentário do art. 942, do CPC, no sentido convencional. Meu propósito é estimular a reflexão acerca da razão de sua existência no nosso ordenamento jurídico. para compreender isso é preciso ter em conta que o dispositivo em questão criou a hipótese denominada pomposamente no juridiquês doutrinário de “ampliação da colegialidade”,…

POLARIZAÇÃO DE GRUPO E DECISÕES COLEGIADAS

A Psicologia Social descreve o fenômeno conhecido como “polarização de grupo” (group polarization) como a tendência das opiniões semelhantes de indivíduos acerca de determinado assunto assumirem forma amplificada quando manifestadas em decisão de grupo. Consoante estudo realizado por CASS R. SUNSTEIN (The Law of Group Polarization), na Uuniversidade de Direito de Chicago, o fenômeno surge…

JULGAMENTOS POR DESTAQUE

Muitos tribunais atualmente utilizam o sistema de julgamento colegiado por destaques, que são apresentados nas respectivas sessões.  Esse sistema aproveita o as funcionalidades tecnológicas disponíveis mas não se identifica com os chamados julgamentos virtuais, ou “plenário virtual”, como utilizado pelo STF. A diferença entre os dois sistemas é que os julgamentos virtuais ocorrem de forma…

HIT THE ROAD, SON – OU O CASO DO FILHO-CANGURU

     Com essa manchete, parodiando a música de Ray Charles (Hit the Road, Jack), a agência Reuters noticiou no dia de hoje a decisão de juiz da Suprema Corte do Estado de Nova Yorque – ao que parece, o órgão com competência originária para apreciar o caso – que determinou a expedição de uma…

BRÁULIO, JUVENAL, LUIZ AUGUSTO E DILMA

     Em 2001, um cidadão chamado Bráulio exigiu da União uma indenização de 2 milhões de reais a a título de reparação de dano moral, pelo fato de esse nome próprio ter sido utilizado pelo Governo para identificar o órgão sexual masculino numa campanha publicitária contra a AIDS. Na ocasião, a 3a. Turma do…

A MULHER QUE ESGANA COBRAS

Uma tia de minha mulher adora enganar cobras com as mãos nuas. Ninguém sabe como essa mania começou, exceto ela. A primeira foto que vi dela era da década de 90, deitada numa praia de rio, sorrindo ao lado de uma sucuri de seu tamanho esticada e com a garganta arrebentada ao seu lado. Naquela…

COMPETÊNCIA, AGRAVO DE INSTRUMENTO E INSEGURANÇA JURÍDICA

Em recente decisão do min. Luis Felipe Salomão, o STJ decidiu que as decisões interlocutórias relativas à matéria de competência interna são passíveis de agravo de instrumento. Extraio do acórdão o trecho pertinente: Apesar de não previsto expressamente no rol do art. 1.015 do CPC/2015, a decisão Interlocutória relacionada à definição de competência continua desafiando recurso de…

AÇÃO REIVINDICATÓRIA E ANTECIPAÇÃO DE TUTELA: IMPOSSIBILIDADE

As considerações a seguir não tem pretensão acadêmica. Vou sustentar meus argumentos a partir do meu próprio conhecimento sobre o tema e também estou ciente de que minha conclusão é oposta à jurisprudência. Quanto à doutrina, no que pesquisei, nada encontrei. Minha tese é a seguinte: NÃO CABE ANTECIPAÇÃO DE TUTELA EM AÇÃO REIVINDICATÓRIA. Inicio…