AGRAVO INTERNO, PARA DESCUIDADOS

Dou uma informação que parece não ser crível, mas perto de 30% (!) dos agravos internos contra decisões monocráticas por mim prolatadas, não são conhecidos por ausência de dialeticidade. É um dado concreto e muito preocupante, porque mostra que boa parte dos advogados não conhecem a sistemática objetiva dos agravos. Isso não descarta a possibilidade…

DIALETICIDADE É SIMPLES, DIFÍCIL É NÃO COMPREENDÊ-LA

     Minha experiência em Câmara de Agravos tem me mostrado que muitos advogados não dominam o conceito de congruência e dialeticidade no plano recursal, especialmente nos agravos de instrumento. Isso não chega a ser novidade,  afinal, boa parte, hoje, sequer domina as regras básicas de gramática. A diferença é que a gramática da nova…